Em 2026 os Millennials chegam ao mercado.
Esteja preparado para os ajudar a comprar casa.

O Futuro está ao virar da esquina. Pode encontrá-lo nos cafés, nas esplanadas, nas universidades, nos centros comerciais, de telefone na mão e auscultadores na cabeça.

São conhecidos como Millennials e grande parte deles está agora na casa dos 20 anos. Eles são os próximos clientes da Mediação, mas a maioria não vai comprar casa já.
Talvez lá para 2026! O contexto económico, a dificuldade de acesso a oportunidades de emprego, o prolongamento da formação académica e prioridades diferentes das anteriores gerações, levaram os Millennials a atrasar em mais de uma década algumas das decisões importantes da vida: construir uma família, ter filhos e, claro, comprar casa. Essas decisões acontecem agora entre os 30 e os 35 anos, ao contrário dos 24 a 28 anos das gerações anteriores.

Claro que ter casa própria vai fazer parte do sonho destes jovens, mas como a maioria não está a pensar assentar nos próximos anos, a decisão vai ser adiada para mais tarde. No entanto é necessário compreender hoje as necessidades e os desejos dos Millennials para os transformar em clientes amanhã. Para saber como atrair esta geração de clientes compradores e vendedores, continue a ler este artigo.

Como alcançar os Millennials?
Nesta geração, a probabilidade de utilizar a Internet para encontrar um imóvel é muito maior do que em qualquer outra. A maioria dos Millennials acede diariamente à Internet e utiliza um smartphone.
Para alcançar esta geração terá de dominar o universo das aplicações móveis (Apps), terá de ter os imóveis nos grandes portais imobiliários, terá de ter um website moderno e mobile-friendly. Terá também de ser capaz de construir relações através das redes sociais, de fornecer conteúdos relevantes e que levem os utilizadores a interagir consigo. Terá também de se habituar a comunicar
mais através de e-mail e SMS – não coloque de lado os telefonemas mas, para chegar aos Millennials, precisará de utilizar vários outros canais de comunicação, dispositivos e de desenvolver ainda novas formas de comunicação e linguagem.

Como conquistar a sua confiança?
Comece por responder aos seus pedidos de forma rápida e com informação útil. Os Millennials valorizam a confiança e relações genuínas.
Provavelmente não vão confiar nos seus esforços de marketing por serem constantemente bombardeados, mas vão confiar em si se acharem que a sua informação é boa e de qualidade. Os Millennials tendem a dar mais valor à honestidade e à confiança no Agente Imobiliário do que à reputação dos seus resultados.
A confiança traduz-se também no facto desta geração  se basear nas opiniões de amigos e familiares e, sobretudo, nos comentários online dos seus pares. Muitos Millennials chegam aos
Profissionais Imobiliários por referência, por isso, não se esqueça de incentivar os seus comentários.

Que imóveis procuram?
Influenciados pelas altas taxas de desemprego, pela dificuldade de acesso ao crédito e por um mercado imobiliário que viram desvalorizar, os Millennials têm uma visão diferente da compra de casa e dos investimentos a longo prazo que querem fazer. Quer dizer que já não querem comprar casa? Não, segundo o relatório ‘Home Buyer and Seller Generational Trends’ da NAR, o desejo de ter casa própria continua a ser a razão Nº1 para as pessoas comprarem casa, qualquer que seja a geração. No caso dos Millennials, são 39% aqueles que dizem querer comprar pelo simples facto de querer ter casa própria. No entanto, sabemos que os desejos e motivações dos Millennials são um pouco diferentes das outras gerações.

Sabemos que muitos Millennials querem viver no centro da cidade, querem viver perto do local de trabalho, em bairros que possam percorrer a pé ou que estejam servidos de bons meios de transporte.
Sabemos que avaliam muito bem os custos e o tempo de deslocação e que se for possível preferem viver perto do local onde foram criados ou da casa dos seus pais. Sabemos que a proximidade de serviços, entretenimento, espaços verdes e áreas para a prática de desporto são também valorizados. Sabemos que preferem casas mais pequenas ou usadas, com preços mais baixos, que possam remodelar para mais tarde ganharem dinheiro com a venda. Sabemos, no fundo, que não procuram investimentos a longo prazo e que não querem comprar uma casa na qual vão viver toda a sua vida.

O que não deve esquecer
Para obter grandes resultados com esta geração, não fique apenas pelas grandes tendências ou pelos estereótipos. Não assuma que os Millennials querem viver apenas no centro das cidades ou nos bairros hipster, muitos deles procuram também zonas periféricas e mais tranquilas. Não pense que os Millennials apenas querem casas eficientes e que reduzam a pegada ecológica, sobretudo se representarem um grande encargo mensal.

Não parta do princípio que os Millennials não têm capacidade para comprar, muitos deles já se informaram da sua capacidade de endividamento. Não pense apenas na compra e venda tradicional, os Millennials podem encaixar-se também noutros tipos de negócio: arrendamento, investimento, leasing e, quem sabe, noutros modelos que possam surgir no futuro.

No final, a compra de casa implica motivações variadas, por isso, nada como sentar-se com estes potenciais clientes para uma boa conversa, conquistando a sua confiança e focando-se naquilo
que é verdadeiramente importante para eles.

AUTOR: CRS PORTUGAL
Publicação original: Revista CRS Maio 2016
www.crs.com.pt