O mundo digital não é uma tendência, é uma realidade que revolucionou a forma como comunicamos e nos mostramos aos outros.

Vivemos, assumidamente, numa era digital que amplia conexões, conhecimento e resultados. Há 16 anos, quando o Facebook foi lançado estávamos longe de imaginar que, em 2020, haveria centenas de plataformas e aplicações enraizadas na nossa vida, ao ponto de dependermos delas para executar atividades pessoais e profissionais. São elas que nos permitem, diariamente, comunicar em tempo real, enviar mensagens e informação variada, e criar ligações com pessoas que nunca conhecemos presencialmente, entre outras possibilidades.

Uma das consequências, da conjuntura presente, foi a necessidade que muitos agentes imobiliários sentiram de apostar na otimização da comunicação online. Uma tomada de consciência, de que ter uma presença digital, pode representar uma mais valia.

Quando mergulhamos neste mundo, inevitavelmente, surgem várias questões. Quais são as redes sociais adequadas e as respetivas vantagens? Como é que offline e online se relacionam? Quais são as boas práticas e o que evitar? Como conciliar o plano pessoal e o plano profissional?

Como em praticamente tudo, existem vantagens e desvantagens. Depende sempre da perspetiva individual.

Na minha visão de profissional de comunicação há 19 anos e otimista inveterada, acredito que esta é a melhor fase de sempre para os agentes imobiliários comunicarem a sua marca pessoal e a sua proposta de valor. A partir do momento, em que a possibilidade de divulgação deixou de se limitar aos outdoors e panfletos nas caixas de correio, abriu-se um novo mundo de possibilidades que, se for devidamente explorado, poderá potenciar resultados incríveis para o trabalho de todos os profissionais.

Cada agente tem a capacidade de elevar a sua marca pessoal e definir uma proposta de valor. Ambas serão únicas, mas isso não é suficiente. Elas só se transformam numa vantagem competitiva quando são comunicadas por si e percecionadas pelos seus clientes.

É aqui que a comunicação online assume um papel de destaque. Sendo que, ela deve ser coerente com a comunicação offline. A marca pessoal e a proposta de valor são sempre as mesmas, somente serão utilizados canais diferentes para comunicá-la e isso exige alguma adaptação, mas a essência deve ser a mesma. É fundamental perceber que os canais de comunicação offline e online estão interligados. Um não substitui o outro. Ambos são importantes e complementares.

Para tornar a comunicação online num ponto forte deverá assumir a responsabilidade de cuidar, estruturar e planear.

Partilho 5 sugestões que poderão contruir para a otimização da sua presença digital em diversas plataformas.

Realize uma sessão fotográfica profissional

Para otimizar a sua conta, na maioria das redes sociais, é necessário publicar uma foto de perfil. Facebook, Instagram e LinkedIn são três exemplos que, para além desta foto, também permitem a partilha de conteúdos de imagem em conjugação com texto. Por este motivo, é importante ter um banco de imagem próprio que permita produzir conteúdos de qualidade. Investir numa sessão fotográfica com um profissional que capte a sua essência em diferentes ambientes é importante para ter essa base que depois poderá ser alternada com outras opções, seja de bancos de imagem gratuitos ou fotos de telemóvel.

Sugestão: Seja criativo(a), tente realizar uma sessão onde a autenticidade seja visível. Para além da sua zona de atuação e local de trabalho, selecione também ambientes que remetam para a sua história pessoal e profissional. Escolha diferentes opções de guarda-roupa que revelem o seu estilo único e diferenciador.

Escreva a sua história

Apresente-se. Quem é? Qual é a sua história? Porque é que entrou no mercado na mediação imobiliária? O que é que o(a) move? Qual é a sua proposta de valor? Conte aos outros qual é a sua história. Poderá fazê-lo num site, na seção da história na sua conta profissional do Facebook ou na seção sobre do LinkedIn.

Sugestão: Selecione aspetos que sejam relevantes e mostrem quem é para além da sua profissão. Quem é a pessoa para além do que é visível numa foto de perfil? Crie a possibilidade de estabelecer empatia com quem vai ler a sua história. Recorde-se que não existe ninguém igual a si e também não existem história iguais.

Invista num logotipo

E se conseguisse traduzir a sua marca pessoal num logotipo? Uma identidade visual que transmita parte da sua essência. O lettering, a escolha de cores, um símbolo, uma ilustração e uma assinatura podem ser os elementos existentes na composição de um logotipo. Não são todos obrigatórios, mas os elementos selecionados deverão ter um significado. O tipo lettering, por exemplo, poderá estar relacionado com a sua personalidade. Quando tiver o seu logotipo poderá colocá-lo nas imagens de capa do Facebook e do LinkedIn, nas imagens que publica dos seus imóveis, na sua assinatura de email e no seu cartão digital, entre outros.

Sugestão: Peça vários orçamentos e analise o seu portfolio. Contrate um designer gráfico com o qual sinta empatia. É importante desenvolver este trabalho com alguém que considere capaz de traduzir a sua visão ou que ajude a encontrá-la caso não esteja clara e precise de orientação.

Crie mensagens personalizadas

Seja no Instagram, no Facebook ou no LinkedIn quando alguém envia um pedido de conexão e começa a seguir a sua conta, marque pela diferença e envie uma mensagem personalizada a agradecer. As relações no mundo online são tão importantes como no mundo offline. Sempre que alguém se junta à sua comunidade é porque existe um motivo de interesse ou de identificação. Ao enviar a mensagem a agradecer e a mostrar-se disponível para partilhar os seus contactos estará a valorizar cada contacto e a criar um impacto positivo e diferenciador.

Sugestão: Crie uma mensagem standard e quando enviar personalize colocando o nome da pessoa. No final da mensagem, coloque sempre os seus contactos de telemóvel e email. Reserve tempo na sua agenda para se dedicar alguns minutos por semana a esta atividade.

Plano de Conteúdos

A base da presença nas redes sociais é a produção de conteúdos. Não é suficiente criar uma conta. Ela só ganha vida quando é alimentada regularmente com conteúdos relevantes para a comunidade online. E aqui, entra algo fundamental: ter presente a intenção de comunicar com valor e significado. Ter a consciência de que quando se cria um conteúdo deve haver planeamento, um objetivo definido e uma mensagem que acrescenta algo e não apenas comunicar algo por comunicar. Ter um plano de conteúdos vai facilitar a gestão da sua presença nas redes sociais.

Sugestão: Considere a sua marca pessoal nos contextos pessoal e profissional, defina critérios de publicação. Depois de ter uma visão, clarifique os temas que gostaria de abordar e defina dias para esses temas. Para facilitar a gestão poderá optar pelo agendamento de posts disponível para o Facebook e para o Instagram. Com este planeamento será mais fácil ter uma presença estruturada e consistente. Tente ser flexível e deixe espaço para conteúdos orgânicos. As stories do Instagram, por exemplo, são uma ótima opção para este tipo de conteúdo.

 

Observe o potencial do universo online. Explore e compreenda os seus benefícios. Defina o que faz sentido para si e para a visão da marca pessoal que está a construir na mediação imobiliária. Lembre-se, se a sua marca e a sua proposta de valor são singulares, também a sua presença digital pode ser única e diferenciadora.

COMO DEVEMOS ULTRAPASSAR ESSA CRISE
PARTICIPAR
PARTICIPE / FAÇA-SE OUVIR